Monografias

19/06/2018

TC - A fraternidade como princípio do Direito de Família

Sendo um estudante de Direito, sempre me senti atraído pelas questões ligadas ao comportamento das pessoas em sociedade, uma vez que a justiça está intimamente relacionado com o “ser social”, ressaltando que a necessidade de existência do provimento jurisdicional surgiu quando as lides, emanadas da relação interpessoal, começaram a provocar a desarmonia social. Diante do contexto existente entre o surgimento da sociedade sendo organizada em “famílias” o Direito teve a obrigação de evoluir até conseguir acompanhar a modernidade da estruturação social, familiar. Mesmo estando sempre atento às transformações sociais que o Direito precisava (precisa) cobrir com seu manto, foi na academia que me apaixonei pelo Direito das Famílias. Surpreendentemente, nesse mesmo período, conheci o grupo “Comunhão e Direito” que trabalha em todo o Brasil para incluir no estudo das ciências jurídicas o de ideal de uma sociedade mais fraterna e justa. Fazendo uma relação entre o Direito das Famílias e a Fraternidade sendo interpretada como uma categoria jurídica, percebi que esses dois institutos estavam simbioticamente relacionados uma vez que a família é a base de uma sociedade e não há como acreditar em uma sociedade fraterna se não existirem famílias que respeitem a fraternidade entre si. 

Esse texto contém anexo


Autor(es)

Jomery José Nery de Souza